O deputado estadual Agenor Neto (PMDB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (15), para denunciar a grave situação em que vive a saúde da região Centro Sul do estado. Ele disse que se sente envergonhado com o descaso que o governo do estado tem demonstrado para com o Hospital Regional de Iguatu, que atualmente está com sérias dificuldades para o custeio do seu funcionamento. "A Prefeitura de Iguatu está bancando, com recursos próprios, 50% do custeio do Hospital de Iguatu, ou seja, cerca de R$ 800 mil", informou.

De acordo com o parlamentar, diferentemente de Iguatu, as cidades de Sobral e Juazeiro do Norte não investem nada em seus hospitais regionais. "Tudo é bancado pelo Estado. Entendemos que somos cearenses iguais aos de Sobral. Pagamos os mesmos impostos e, portanto, temos os mesmos direitos", observou.

Agenor Neto observa que não adianta construir novos hospitais se não tem como custear os já existentes. "Vejam o exemplo do hospital regional de Quixeramobim. Está pronto, mas não existe dinheiro para custeio. Esta é a realidade, e temos que discutir, porque são vidas humanas que estão morrendo nos hospitais regionais do Ceará por falta de planejamento", disse.

O parlamentar também alertou para a situação do Consórcio de Saúde da Policlínica e do CEO de Iguatu, que sofreu cortes de recursos de quase um milhão de reais. "O Estado fez um corte de quase um milhão de reais, no entanto os municípios continuam bancando os mesmos recursos. E já que o estado reteve para si esse montante, porque então não direcionar esse dinheiro para os hospitais polos que estão passando graves necessidades financeiras", argumentou.

O peemedebista foi aparteado pelos colegas Capitão Wagner (PR), Roberto Mesquita (PV), Dra. Silvana (PMDB) e Leonardo Pinheiro (PSD). Todos elogiaram a postura e o discurso coerente do parlamentar.