Durante a sessão plenária desta terça-feira (06/10) o deputado Agenor Neto (PMDB) externou sua preocupação com relação ao desabastecimento de medicamentos nos postos e hospitais dos municípios do interior do Estado. Segundo o parlamentar, o Governo está com uma dívida de R$ 22 milhões, e por isso não tem depositado a contrapartida devida para a compra dos remédios por meio do programa de Compra Unificada.

Segundo o parlamentar, faltam remédios para doenças crônicas, como diabetes, asma e hipertensão arterial. Ele informou que durante reunião com o secretário da Saúde do Estado, Henrique Javi, cobrou urgência na entrega dos medicamentos. “São milhares de pessoas que estão sem receber esses medicamentos, principalmente as mais necessitadas", disse. 

O deputado também comentou a retirada de recursos do orçamento da União para a Farmácia Popular. "Temos presenciado a angústia e a preocupação das pessoas na possibilidade de perder esses descontos que chegam a 90%. Imaginem uma pessoa pobre e humilde ter que arcar com esse aumento a partir de janeiro", lamentou.