Em seu pronunciamento na manhã desta quinta-feira (12/11) na Assembleia Legislativa, o deputado Agenor Neto (PMDB) falou sobre a sua viagem a Brasília e a audiência que teve com o ministro da Educação, Aloízio Mercadante (PT), para tratar da instalação da Faculdade de Medicina em Iguatu. "Nós ouvimos por parte do ministro que a Faculdade de Medicina em Iguatu é uma realidade e que até o dia 10 de dezembro vai ser publicada a decisão", informou.

O deputado fez questão de relatar que a articulação para implantar os cursos de medicina em Iguatu teve início em 2006, durante seu primeiro mandato como prefeito de Iguatu, e  intensificou-se em 2013, quando o Governo Federal baixou o edital para abertura de novas faculdades de medicina particulares, e o município ingressou com o pleito. "Infelizmente, embora o município tenha sido o mais bem avaliado pelo Ministério da Saúde, fomos surpreendidos por uma manobra política, que nos tirou a faculdade de medicina naquele momento", disse.

Agenor Neto lembrou que a questão foi levada ao ministro Mercadante, que na época admitiu a injustiça, após constatar que o sistema do Ministério não havia sido aberto para que o município de Iguatu pudesse se adequar às mudanças do edital. “Esse ano, foi baixado novo edital e Iguatu participou. O município foi analisado pelos técnicos do ministério, que disseram que o município tem a melhor avaliação técnica para ter uma faculdade de Medicina, haja vista ter a melhor escola de saúde pública na região centro-sul e sul do Estado, e a melhor equipe de saúde mental do Nordeste”, destacou.

O parlamentar fez questão de destacar o empenho do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) na consolidação do processo. “Foi fundamental. No momento de fechar acordo com o Governo Federal ele colocou como pauta principal, não apenas a faculdade de medicina para Iguatu, mas também para as cidades de Russas, Crateús, Itapipoca e Quixeramobim", informou.

Agenor Neto também parabenizou o prefeito de Iguatu, Aderilo Alcântara, que conquistou menor índice de mortalidade infantil da história do município. “Queda da mortalidade infantil são crianças que estão deixando de morrer. E o prefeito Aderilo nos dá o maior prêmio que um gestor pode dar para a sua população, que é a queda da mortalidade infantil, que hoje alcançou um índice de 8,4 por mil  nascidos vivos”, disse.

O peemedebista foi aparteado pelos deputados Leonardo Araújo (PMDB), Walter Cavalcante (PMDB) e Roberto Mesquita (PV). Todos enalteceram a luta do parlamentar para a conquista da Faculdade de Medicina para a região Centro Sul.