Prefeitos da microrregião de saúde do Centro Sul do Estado, composta por 10 municípios, estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira (3) nas dependências da Assembleia Legislativa do Ceará, para discutir o rateio de recursos para o custeio do Hospital Regional de Iguatu.

O encontro contou com a presença do deputado estadual Agenor Neto (PMDB), do deputado e líder do Governo, Evandro Leitão (PDT), dos deputados Leonardo Araújo (PMDB) e Robério Monteiro (PROS), além dos prefeitos Aderilo Alcântara (Iguatu), Vilmar Félix (Acopiara), Gilvan Oliveira (Cariús), Ecildo Evangelista (Mombaça), Risoleta Moreira (Irapuan Pinheiro), Expedito do Nascimento (Piquet Carneiro) e Raimundo Luna (Jucás).

O Hospital Regional de Iguatu atende a pacientes de dez municípios da região, e nos últimos dois anos, com a crise da saúde instalada no país, passou a ter problemas de recursos para o financiamento do seu custeio. Iguatu, cidade sede da unidade de saúde, atualmente é quem banca a maior parte dos recursos, investindo mais de R$ 460 mil ao mês, enquanto o Governo Federal banca R$ 400 mil e o Governo do Estado, R$ 390 mil.

"Mais uma vez mostramos a situação grave pela qual passa o Hospital de Iguatu, e a discriminação do Governo Do Estado com a nossa região. Para o Hospital da Região Norte, em Sobral, tem médicos de avião, tem investimentos milionários e aqui na nossa região temos que viver numa situação de calamidade, e o município de Iguatu tendo que bancar a maior parte do custeio", disse o deputado Agenor Neto. “E além do mais temos uma UTI Neonatal pronta em Iguatu, e não inaugura porque o Governo diz que não tem dinheiro, é inadmissível", pontuou.

O prefeito Aderilo Alcântara disse que do jeito que a situação se encontra, não tem como continuar, porque Iguatu acaba pagando por pacientes de outras regiões. "É uma situação muito difícil, que termina extrapolando a cota conveniada entre as cidades e a Secretaria de Saúde do Estado, e no final sobra para a Prefeitura de Iguatu", disse.

Durante o encontro o líder do governo, Evandro Leitão se comprometeu em agendar uma reunião com o governador Camilo Santana para a próxima sexta-feira (5) ou depois do período de Carnaval para debater o assunto.