O deputado estadual Agenor Neto (PMDB) usou a tribuna da Assembleia Legislativa durante a sessão plenária desta quarta-feira (16/03) e fez um duro pronunciamento para criticar o Governo do Estado na gestão da saúde pública do Ceará. O parlamentar voltou a lembrar de que o Governo aumentou sua arrecadação em 6%, cerca de R$ 200 milhões, e que poderia ter usado parte desses recursos para novos investimentos na saúde. "Infelizmente o Governo fez o contrário e diminuiu os recursos para a saúde em mais de R$ 50 milhões", disse.

O parlamentar observou que no ano passado, foi cortado quase R$ 1 milhão de reais das Policlínicas, e agora o Estado está descontando o dinheiro dos repasses dos municípios e não transfere para os consórcios de saúde.

"A situação se agravou. Cinco pacientes morreram somente esse ano no Hospital Regional de Iguatu porque a Secretaria de Saúde do Estado não liberou as transferências para Fortaleza. "Imaginem a dor, você vê seus entes queridos morrerem porque o Governo não liberou a transferência para que pudessem ser atendidos em Fortaleza. Agora mesmo temos um paciente de Quixelô que está em situação grave, precisando de uma UTI, e o Governo não autoriza sua transferência para a Capital. É muito injusto", disse.

Agenor Neto ressaltou que o Estado precisa priorizar seus investimentos ao invés de construir novos prédios, se nem recursos tem para o custeio. "Esse dinheiro deveria ser utilizado para melhorar as condições dos hospitais polos, mas o que nós temos visto é que esse governo repete os mesmos erros do seu antecessor, que comprou tatuzões para cavar túneis, priorizou Aquário, com gastos de mais de R$ 300 milhões, e gastou mais de meio bilhão de reais com a construção de uma Vila Olímpica, que não funciona", criticou. "Falta até dinheiro para investir em carros pipas para matar a sede do povo do interior do Ceará", completou.

O peemedebista lembrou que na próxima sexta-feira (18) haverá a realização de um ato público na Praça da Matriz, em Iguatu, para reivindicar mais recursos para a saúde da região Centro Sul. "O apoio da população será fundamental e também de todos os deputados que foram votados na região para que possamos sair dessa situação de caos que está vivendo a saúde do Ceará", informou.