O deputado Agenor Neto (PMDB) cobrou, durante pronunciamento na sessão plenária desta quinta-feira (28), explicações do Governo do Estado quanto ao desabastecimento de medicamentos nas unidades de saúde do interior do Ceará. O parlamentar usou a informação de uma matéria do jornal Diário do Nordeste, sofre a falta de medicamentos. "Infelizmente, pessoas estão morrendo devido a essa falta de repasses de medicamentos pelo Governo do Estado", disse.

O deputado destacou que, apesar da responsabilidade pela aquisição dos medicamentos ser do Governo do Estado, as pessoas entendem que a culpa é dos prefeitos. Ele rechaçou a informação da Secretaria de Saúde do Estado de que os repasses ao município de Iguatu teriam sido normalizados desde o dia 12 de abril. "Essa informação do governo não é verdadeira. Os repasses não estão em dia para nenhum dos 181 municípios incluídos nessa central de compras", pontuou.

Agenor Neto informou que o Governo repassou para Iguatu apenas R$ 100 mil, referente a 2015. "O Governo ainda deve ao município de Iguatu, referente ao ano passado, a quantia de R$ 30 mil reais", explicou. Ele disse que o mais grave é que o Estado desconta esses recursos mensalmente da cota do ICMS dos municípios o valor correspondente para a compra dos medicamentos.

"Já estamos em abril de 2016, e o Estado ainda não repassou um único centavo. Imaginem a situação das pessoas que dependem desses medicamentos para viverem. Muitos estão morrendo pela irresponsabilidade de um governo que não prioriza a vida das pessoas", lamentou.

O peemedebista informou que devido à falta desses medicamentos, as pessoas estão recorrendo à justiça para exigir que os municípios comprem esses medicamentos. "A maioria dos municípios não tem condições para cobrir as responsabilidades do Governo do Estado, que retém o dinheiro dos municípios e não compra os medicamentos", disse.

O parlamentar foi aparteado pelos deputados Ely Aguiar (PSDC), Daniel Oliveira (PMDB) e Dra. Silvana (PMDB). Todos concordaram com a posição de Agenor Neto.