O deputado Agenor Neto (PMDB) destacou, na sessão plenária da Assembleia Legislativa desta sexta-feira (10/06), preocupação com as prioridades traçadas pelo Governo do Estado e criticou o aumento da estrutura administrativa do Executivo. "Desde o início, o governador Camilo Santana aumentou inúmeras secretarias e agora criou a Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Sócioeducativo, com mais de 100 cargos", observou. 

O parlamentar argumentou que há falta de gestão por parte do Executivo, e questionou a situação financeira do Estado. "O que nos preocupa é saber qual o Estado do Ceará que nós estamos vivendo, porque o secretário da Fazenda, Mauro Filho, para contrapor um relatório do Banco Central, que aponta um déficit de R$ 2,2 bilhões, diz que o Ceará está em equilíbrio", pontuou. 

Segundo Agenor Neto, nos últimos 16 meses, foi aprovado R$ 2,3 bilhões em empréstimos. "E hoje aparece uma informação, por meio da imprensa, de um pedido do secretário para uma pedalada de 10 anos para uma dívida de R$ 2,8 bilhões só com o BNDES, sem contar com outras instituições", assinalou.

Agenor Neto lembrou que, enquanto as pessoas morrerem em leitos de hospitais por falta de recursos e de atendimento médico de urgência, o Governo prefere assinar convênios para a realização de festas. "A gente pega o Diário Oficial e vê muito dinheiro para festas, para asfalto, como é o caso da Prefeitura de Fortaleza que vai receber R$ 30 milhões, e não tem nada para a saúde", indagou.  “O mais importante numa gestão é cuidar das pessoas, e cuidar das pessoas é cuidar principalmente da saúde pública”, concluiu.
O deputado foi aparteado pelos deputados Roberto mesquita (PSD), e José Ailton Brasil (PP).